13/06 - 08:00 am

Nossas Estrelas: Marcel Fuzaro

Marcel Fuzaro tem 17 anos e apesar de ser tão jovem, o associado obteve uma grande conquista no mundo dos games. Ele é atleta profissional de Brawl Stars e recentemente participou do Brawl Stars World Championship 2020, onde sua equipe com mais três competidores disputaram contra gamers do mundo inteiro e conquistaram o segundo lugar.

Para garantir a vaga, Marcel precisou se manter na primeira posição da classificação geral da sua região durante 8 meses, um feito que precisou de muita dedicação. Engana-se quem pensa que se trata apenas de um passatempo, o mercado de game é líder de crescimento nos últimos anos e disparou durante a pandemia, os jogos pelo celular ou tablete devem continuar sendo as estrelas. Relatório da consultoria especializada Newzoo divulgado em maio deste ano, projeta que os games para dispositivos móveis devem gerar receita de 77,2 bilhões de dólares neste ano, alta de 13,3% e quase metade de toda a receita do setor. O segmento como um todo deve crescer 9,3%, chegando a uma receita de 159,3 bilhões de dólares, já com projeções incluindo o panorama pós-coronavírus. (Fonte: Revista Exame)

  1. Você poderia explicar melhor sobre a modalidade e como é o cenário no Brasil e no mundo?

Bom, no cenário mundial, existem vários campeonatos de jogos, que são divididos por região. A grosso modo: Europa, América do Sul, América do Norte e Ásia. Na nossa região o cenário é muito novo e conta com torneios pequenos por conta de pouco investimento, já na Europa e América do Norte eles têm uma quantidade bem maior de torneios e com premiações maiores também. A Ásia também não tem tantos torneios e os jogos não são tão famosos por lá.

  1. Como começou seu interesse por jogos? Quantos anos você tinha?

Eu sempre gostei de jogar, mas foi a partir dos 12 anos que eu fiquei mais viciado nesse tipo de coisa.

  1. Nos conte mais sobre este torneio que você participou (Brawl Stars World Finals 2020).

Esse torneio é aberto para jogadores do mundo todo, maiores de 16 anos. Eu jogo pela região latam sul. Essa região tem apenas 1 vaga para a final do mundial, então eu tive que ficar em primeiro lugar de toda a região Latam Sul durante 8 meses de classificatórias. As outras regiões tem mais 7 vagas no total na final do mundial e eles tiveram que classificar nas regiões deles pra competirem na final. As vagas são divididas assim: América do Norte e Latam Sorte têm 1 vaga; Latam Sul tem 1 vaga; Europa, África e Oriente Médio têm 3 vagas e Ásia em geral tem 3 vagas. E eu joguei contra os melhores de cada região.

  1. Você acredita que na pandemia o interesse pelos games e a participação em torneios aumentou?

Sim, imagino que com a pandemia e todos de quarentena, o competitivo em geral foi uma solução do tédio pra muita gente.

  1. Este é um esporte ainda pouco conhecido, mas é possível fazer carreira na modalidade, certo? Quais conselhos você daria para quem está começando? Quais tipos de jogos é necessário aprender a jogar?

Sim, com certeza é possível e com um retorno maior do que pensam. Focar em crescer no jogo e acompanhar os torneios competitivos pra saber sobre os torneios abertos para amadores e ir evoluindo com o tempo. Recomendo que eles procurem jogos que possuem ou tem chance de ter um cenário competitivo e através daí vem o dinheiro.

  1. E quais são seus próximos objetivos? Você está se preparando para um novo campeonato?

O meu principal objetivo no momento é ganhar o mundial de Brawl Stars e estou me preparando para isso já faz tempo.

*Reportagem publicada em dezembro/2020.

 

 

Esportes: Mais informações no Depto. Geral de Esportes  ou pelo telefone 2188-2687.

Social: Mais informações no Depto. Social  ou pelo telefone 2188-2659.